Perdizes - (11) 3673-8520 / Osasco - (11) 3681-8677 provaccina1@uol.com.br

Por Dr. Renato de Ávila Kfouri

Nem sempre o relacionamento entre mãe e empregada ou babá é harmonioso e muitas vezes quem mais sofre com isso é a própria criança.

As mães que trabalham e necessitam de alguém que olhe e cuide de seus filhos precisam estar atentas em relação a alguns aspectos para que além da segurança, algo mais seja proporcionado a eles.

A escolha de uma nova empregada é sempre difícil e representa ensinar todo o serviço, além de facilitar o entrosamento dela com o restante da família. Uma missão que não é fácil e requer tempo e principalmente paciência.

O perfil da pessoa é fundamental. Ela precisa gostar de estar com crianças. Com disposição e tempo, o serviço da casa: cozinhar, passar, lavar, pode ser ensinado, mas traços de personalidade e temperamento dificilmente são modificados.

É preciso determinar desde cedo quais são as funções da pessoa, e evitar o acúmulo delas para que “sobre” tempo para brincar e estimular a criança.

Os antecedentes, referências e os empregos anteriores também são importantes e as perguntas devem ser feitas no primeiro contato como: nome, endereço, telefone, se é casada, tem filhos, idade, etc.

Uma vez feita a escolha, o passo seguinte é listar todas as tarefas, de forma bem detalhada e, se possível, estabelecer dia e hora para serem executadas. A criança deve ser sempre a prioridade número um.

O relacionamento dos pequenos com a nova empregada nem sempre é fácil e cabe aos pais o incentivo e a facilitação do entrosamento.

A criança é o melhor termômetro para avaliar a quantas anda o relacionamento com a babá, e a mãe tem que utilizar a sua intuição para decifrar os “recados” que muitas vezes as crianças dão através de diferentes comportamentos.

DICAS:

  • Não deixe a criança muito tempo sozinha com a babá no começo. Comece se ausentando por pequenos períodos.
  • Não tenha a expectativa de que tudo vai se resolver da noite para o dia. Às vezes a adaptação pode levar algum tempo.
  • Nunca deixe nada para depois: esclareça todas as dúvidas e faça as recomendações necessárias.
  • Não chame a atenção da empregada na frente de seu filho para que ele não perca o respeito por ela.
  • Observe o comportamento de seu filho e se ele se alegra com a presença dela. Alterações de sono e humor podem ser sinal de que algo não vai bem.
  • Caso esteja descontente, não vacile. É melhor começar tudo de novo do que colocar em risco a segurança e a felicidade da família.