Perdizes - (11) 3673-8520 / Osasco - (11) 3681-8677 provaccina1@uol.com.br

DOENÇAS

Clique no sinal “+” para expandir o conteúdo desejado:

Haemophilus Influenzae

O Haemophilus Influenzae do tipo b é o agente mais importante, em termos de incidência e gravidade de infecção, em crianças entre 3 meses e 5 anos de idade. É causa de meningite, pericardite, pneumonia, artrite e osteomielite, entre outras doenças. Antes da vacinação rotineira, era a principal causa de meningite em crianças até os 5 anos e geralmente deixa seqüelas graves, como surdez.

Vacinar contra o Haemophilus Influenzae do tipo b já é rotina e faz parte do calendário básico recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pela Secretaria de Saúde.

Indicações para vacinar:
• Crianças menores de 5 anos: rotina
• Adultos e Crianças maiores de 5 anos com problemas crônicos de saúde
• Pacientes imunodeprimidos, que podem precisar de um esquema vacinal com mais doses.
• Idosos.

Vacinação contra o Haemophilus:
• Contra-indicações: Não há, exceto as contra-indicações gerais de todas as vacinas.
• Reações Adversas: São raras. Reações locais e febre podem ocorrer nas 24 horas seguintes à aplicação.
• Eficácia: As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 100%.

Considerações Importantes:
• O número de doses indicado varia de acordo com a idade em que se iniciou a vacinação contra o Hib.

Apresentações disponíveis:
• Vacina Simples: Hib Vacinas Combinadas:
• Tetra: Tríplice Bacteriana + Hib Penta: Tríplice Bacteriana acelular + Hib + Pólio injetável
• Hexa:Tríplice Bacteriana acelular + Hib + Pólio injetável + Hepatite B

Difteria, Coqueluche, Tétano

Difteria: doença bacteriana grave. Causa infecção na garganta e pode atingir o coração, o sistema nervoso central, os rins e o fígado.

Coqueluche: doença grave, responsável por grande mortalidade em lactentes, principalmente menores de 6 meses. Causa infecção do trato respiratório e caracteriza-se por acessos de tosse de grande intensidade, com grande prejuízo ao estado geral.

Tétano: doença bacteriana rara, graças à vacinação. Ocasiona quadro grave de hipertonia e espasmos musculares que podem levar ao óbito.

Indicações para vacinar:
• A vacinação está indicada para todos, adultos e crianças.
• Para maiores de 10 anos, deve-se usar a apresentação adulto.
• Grávidas devem ser vacinadas para a prevenção do Tétano Neonatal
com a vacina DUPLA tipo adulto.

Apresentações disponíveis:

Apresentação Tríplice Comum:
• Contra-indicações: contra-indicações gerais, reação grave à dose anterior
• Reações Adversas: Febre – Irritação – Dor e vermelhidão no local são as mais comuns
• Eficácia: Tríplice (difteria/coqueluche/ tétano)
As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 100%.

Apresentação Tríplice Acelular (tipo adulto ou infantil):
• Contra-indicações: contra-indicações gerais
• Reações Adversas: São raras.Dor local é a mais comum.
• Eficácia: Tríplice (difteria/coqueluche/ tétano) As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 100%.

Apresentação Dupla tipo Adulto:
• Contra-indicações: contra-indicações gerais
• Reações Adversas: Reações locais são as mais comuns.
• Eficácia: Dupla (difteria/tétano) As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 100%.

Vacinas combinadas:
• Tetra: Tríplice Bacteriana + Hib
• Penta: Tríplice Bacteriana acelular + Hib + Pólio injetável
• Hexa:Tríplice Bacteriana acelular + Hib + Pólio injetável + Hepatite B

Associação com outras vacinas: desde que aplicadas em locais anatômicos diferentes.

Gripe (Influenza)

A gripe é uma doença infecto-contagiosa, causada pelo vírus INFLUENZA, responsável por epidemias anuais em todo o mundo. É muitas vezes confundida com outras manifestações respiratórias, como resfriados e rinites, mas se difere dessas por seu quadro de sintomas mais graves e fortes.

A gripe leva a complicações, principalmente em crianças pequenas, idosos e doentes crônicos, como pneumonia, sinusite, otite e outras. É a maior causa de absenteísmo na escola e no trabalho.

O vírus da Gripe muda a cada ano. A Organização Mundial de Saúde define as cepas daquele ano e são essas que serão usadas na produção da vacina. Por isso, vacinar anualmente é imprescindível.

Indicações para vacinar:
• Crianças a partir de 6 meses
• Adolescentes e Adultos
• Grupo de risco especial: portadores de doenças crônicas, idosos, crianças com alergia respiratória.

Vacinação:
• Contra-indicações: contra-indicações gerais, Febre alta. Gravidez Choque anafilático após o uso de merthiolate ou ingerir ovo.
• Reações Adversas: São raras (menos de 5%) Reações locais e febre podem ocorrer nas 24 horas seguintes à aplicação.
• Eficácia: As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 80%.

Considerações Importantes:
• A vacina contra a gripe só confere proteção contra os sorotipos do vírus Influenza contidos na mesma, não protegendo contra outros vírus causadores de quadros similares ao da Gripe.

Apresentação pediátrica e adulto.

Esquema de Doses:
• Adultos e crianças a partir de 9 anos: dose única anual
• Crianças de 6 à 35 meses: 2 doses (pediátricas) com intervalo de 1 mês entre elas.
• Crianças de 3 à 8 anos: 2 doses (tipo adulto) com intervalo de 1 mês entre elas.
• Crianças que tomaram a vacina no ano anterior precisam de uma única dose de reforço.

Caxumba, Rubéola, Sarampo

Caxumba: infecção viral da parótida. Pode atingir também ovários e testículos. Caracteriza-se pelo inchaço da região lateral do pescoço e face acompanhado de dor e febre.

Rubéola: infecção viral que causa quadro de exantema (pintinhas no corpo), febre, infecção na garganta. Durante a gravidez é responsável pela Rubéola Congênita, doença que atinge o feto e acarreta lesões irreparáveis como a surdez, o retardo mental e a doença do coração.

Sarampo: doença viral grave, já sob controle no Brasil graças à vacinação. Caracteriza-se por quadro d efebre alta, conjuntivite, fraqueza, e que pode complicar com pneumonia, otite e encefalite.

Indicações para vacinar:
Rotina: Crianças e Adolescentes

Vacinação:
• Contra-indicações: Gravidez. AIDS e outras Imunodeficiências congênitas ou adquiridas. Fase aguda de infecções de pele generalizada contra-indicações gerais.
• Reações Adversas: São raras. Dor local é a mais comum. Quadro gripal com ou sem exantema pode surgir 10 dia após a aplicação.
• Eficácia: As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 95%.

Apresentações disponíveis:
• Vacina Simples: contra Sarampo, Caxumba ou Rubéola
• Vacina Combinada: Tríplice Viral – contra Sarampo, Caxumba e Rubéola

Associação com outras vacinas: desde que aplicadas em locais anatômicos diferentes.

Pneumococos

Pneumococos são bactérias que causam infecções no homem, tais como meningite, septicemia, pneumonia, otite, entre outras. Atingem principalmente crianças e idosos, sendo a causa mais importante de pneumonia nesses últimos. Também é um dos principais causadores de otite em crianças menores de 5 anos. As pessoas portadoras de doenças de base (do pulmão, do coração, dos rins e imunodeficiências) são mais suscetíveis às infecções pelo Pneumococos.

Indicações para vacinar:
A vacina conjugada trouxe a possibilidade de vacinar, com eficácia, crianças pequenas e está indicada a partir dos 2 meses de idade. Pode também ser aplicada em a qualquer idade principalmente naqueles que apresentam doenças crônicas e que são de maior risco para essas infecções.

A vacina Pneumocócica 23 valente não pode ser aplicada antes dos de 2 anos idade. Está indicada para crianças, adolescentes e adultos portadores de doenças crônicas, como asma, bronquite, Nefropatias, Cardiopatias, Imunodeficiências e outras.

Nos postos de Saúde é rotina para maiores de 60 anos.

Vacinação:
• Contra-indicações: febre e alergia à componente da vacina.
• Reações Adversas: Reações locais e febre podem ocorrer nas 24 horas seguintes à aplicação.

Apresentações disponíveis:
Vacina Simples:
Anti pneumocócica conjugada
Anti – pneumocócica 23 valente
Vacina Combinada: não existe.

Associação com outras vacinas: desde que aplicadas em locais anatômicos diferentes.

Hepatite A

É uma doença hepática viral causada pelo vírus da Hepatite A. Muitas vezes está relacionada com hábitos de higiene e condições sanitárias. A transmissão ocorre pela via fecal – oral (mãos contaminadas) ou através da ingestão de água ou alimentos contaminados. Os principais sintomas são: febre, cansaço, náusea, vômito e falta de apetite, icterícia (cor amarelada na pele e nas mucosas) e cor escura na urina. Frequentemente as manifestações clinicas desta enfermidade não são vistas em crianças menores de seis anos. Raramente evolui de maneira grave e fatal (hepatite fulminante) e nunca cronifica.

Indicações para vacinar:
• Crianças a partir de 1 ano
• Adolescentes e Adultos
• Pessoas que vivem ou viajam para áreas de risco (endêmicas).
• Profissionais de maior risco: mergulhadores, salva-vidas, e outros que possam entrar em contato com água contaminada.
• Contactantes com um portador da doença.
• Crianças em idade de creche ou escola.

Vacinação:
• Contra-indicações: Não há, exceto as de todas as vacinas: febre e alergia a componente da vacina.
• Reações Adversas: São raras (menos de 5%). Reações locais são as mais comuns.
• Eficácia: As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 98%.

Apresentações disponíveis:
• Vacina Simples: Hepatite A
• Vacinas Combinadas: Hepatite A & B

Associação com outras vacinas: desde que aplicadas em locais anatômicos diferentes.

Esquema de Doses:
• Com a vacina combinada: 2a. Dose 1 ou 2 meses depois – 3a. Dose aos 6 meses
• Com a vacina simples: 2a. Dose 6 meses após a primeira

HPV

O HPV é a segunda maior causa de morte por câncer entre as mulheres no mundo. O câncer do colo uterino é um tumor maligno de progressão relativamente lenta e que não manifesta sintomas na sua fase inicial e por isso é fundamental a realização do exame Papanicolaou periodicamente para a detecção do HPV. Os fatores de risco para o desenvolvimento do HPV são vários como: início precoce da atividade sexual; pluralidade de parceiros; falta de hábitos de higiene entre outros.

A melhor forma de evitar o câncer do colo uterino causado pelo HPV, é a prevenção que pode ser obtida através da vacinação e do exame de Papanicolaou.

Cólera

A causa mais comum de diarréia dos viajantes se deve a água e alimentos contaminados pela bactéria E. coli. Os sintomas mais comuns são dor abdominal, náuseas, flatulência, mal estar, aumento dos movimentos peristálticos. Outra causadora de diarréia é a cólera, que é uma doença causada pela bactéria Vibrio cholerae. Em algumas pessoas os episódios da cólera podem ser assintomáticos, no entanto, outras, podem apresentar diarréia grave e vômitos. A perda de grande quantidade de líquido pode levar a desidratação grave se não for tratado na hora.

As medidas profiláticas como consumir água e alimentos de fontes seguras e lavar freqüentemente as mãos, são boas formas de se proteger, além disso, existe a vacinação que crianças acima de dois anos de idade e adultos podem receber.

Hepatite B

Hepatite B é uma doença viral grave que atinge o fígado deixando sérias seqüelas. É uma doença altamente contagiosa que pode causar graves danos ao fígado, sendo uma das maiores causas de câncer do fígado e cirrose.

Se transmite, principalmente por via sexual e pelo contato com sangue contaminado (inclusive no dentista, manicure, etc.), mas também pode ocorrer pela saliva e outros líquidos corporais. A transmissão da mãe para o bebê durante a gravidez é causa de preocupação para a OMS ( uma entre quatro crianças nascidas com o vírus vai desenvolver o câncer ou a cirrose).

Muitas pessoas são portadoras do vírus sem saber, e assim transmitem-no para outras pessoas.

A infecção pelo vírus da Hepatite B pode se dar de maneira assintomática e o doente apresentará as complicações de forma tardia (anos após). Também pode ocorrer uma forma fulminante com quadro gravíssimo seguido até de morte. Outra forma é o quadro crônico com sintomatologia grave.

Indicações para vacinar:
• Crianças a partir do nascimento
• Adolescentes e Adultos
• Grupos de maior risco: hemofílicos, portadores do vírus da AIDS, usuários de drogas, profissionais de saúde
• Mulheres que pretendem engravidar.
• Pessoas que vivem ou viajam para áreas de risco (endêmicas).

Vacinação:
• Contra-indicações: Não há, exceto as de todas as vacinas: febre e alergia a componente da vacina.
• Reações Adversas: São raras (menos de 5%). Reações locais são as mais comuns.
• Eficácia: As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 98%.

Considerações Importantes:
• Para conferir imunidade à Hepatite B são necessárias 3 doses da vacina.
• A vacina também protege contra a Hepatite D.
• Já existe proteção contra a doença após duas doses da vacina, mas a terceira é imprescindível para que a mesma se mantenha.
• Duas apresentações da vacina: pediátrica e adulta.

Apresentações disponíveis:
• Vacina Simples: Hepatite B
• Vacinas Combinadas: Hepatite A & B
• Hexa:Tríplice Bacteriana acelular + Hib + Pólio injetável + Hepatite B

Associação com outras vacinas: desde que aplicadas em locais anatômicos diferentes.

Esquema de Doses:
• Básico: 1a. Dose ao nascimento – 2a. Dose 1 ou 2 meses depois – 3a. Dose aos 6 meses
• Em qualquer idade (crianças, adolescentes e adultos): 2a. Dose 1 mês após a primeira – 3a. Dose 5 meses após a segunda.

Esquemas especiais:
para renais crônicos e imunodeprimidos: dose dobrada – 2ml[40g])
Para pessoas de alto risco de exposição permanente: dose normal

Varicela (Catapora)

A varicela é uma doença altamente infecciosa caracterizada por erupção vesicular (pequenas bolhas na pele) associada á muita coceira e febre. Apesar de ser considerada uma doença benigna pode ocasionar sérias complicações, principalmente as infecciosas. A transmissão ocorre através do contato com secreções respiratórias ou com vesículas de pacientes com varicela ou herpes zoster. O risco de contaminação é alto, porque dois dias antes das lesões aparecerem, o indivíduo já transmite o vírus. Os sintomas começam entre o 14º e o 21º dia após o contato com uma pessoa infectada. A varicela surge com uma formação de manchas seguidas de bolhas e depois as crostas, junto com febre, mal-estar, dor de cabeça e coceira intensa.

Indicações para vacinar:
Crianças a partir de 1 ano – Adolescentes e Adultos

Vacinação:
• Contra-indicações: contra-indicações gerais, de todas as vacinas. Pacientes com contagem de linfócitos de menos 1200/mm3 ou outra evidência de falta de imunocompetência celular.
• Reações Adversas: São raras. Ocorrem cerca de 10 à 14 dias após a vacinação: Exantema similar ao da catapora: 4% dos casos.
• Eficácia: As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 100%.

Apresentações disponíveis:
• Vacina Simples: Varicela
• Vacina Combinada: não existe.

Associação com outras vacinas: desde que aplicadas em locais anatômicos diferentes.

Esquema de Doses:
• Para crianças de 1 ano à 13 anos: Dose única
• Para maiores de 13 anos e adultos: 2 doses com intervalo de 2 meses entre elas

Tuberculose

A tuberculose (TB) é uma doença infecciosa que atinge principalmente os pulmões. Ela existe desde a Antigüidade e até em múmias do antigo Egito foram encontradas lesões características da doença, mas só em 1882 o médico alemão Robert Koch conseguiu identificar o tipo de micróbio causador da enfermidade. O bacilo responsável pela tuberculose é transmitido por tosse e secreções de uma pessoa contaminada para outra. Na maioria dos casos, as lesões da TB se localizam nos pulmões, mas a doença também pode ocorrer nos gânglios, rins, ossos, meninges ou outros locais do organismo.

Indicações para vacinar:
• Crianças a partir do nascimento
• Adolescentes e Adultos

Vacinação com BCG:
• Contra-indicações: AIDS e outras Imunodeficiências congênitas ou adquiridas. Fase aguda de infecções de pele generalizada
• Reações Adversas não desejáveis: Adenopatias locais.
• Eficácia: Até 83% de proteção contra a doença, sua maior indicação é prevenir com segurança as formas graves de tuberculose.

Considerações Importantes:
• A resposta à vacina se desenvolve cerca de 8 à 14 semanas após a aplicação da BCG.
• Reação Local Desejada: surgimento de uma nódulo vermelho até 3 semanas após a aplicação que evolui para uma úlcera que permanece durante até 8 semanas, transformando-se em uma cicatriz quelóide.
• A ausência dessa cicatriz indica necessidade de revacinação.
• Prova Tuberculínica negativa é indicação de não resposta à vacina.
• A proteção conferida pela BCG dura até 10 anos.

Poliomielite

A Poliomielite é a conhecida paralisia infantil. Foi erradicada de alguns pontos do globo, inclusive no Brasil, graças à vacinação. No entanto, é preciso continuar vacinando para que ela não volte, daí os esforços do Ministério da Saúde em campanhas repetidas contra essa doença.

Indicações para vacinar:
A vacinação é rotineira e imprescindível crianças menores de 5 anos.

Vacinação:
Apresentação Oral (VPO)
• Contra-indicações: imunodeficiências e AIDS, contactantes domiciliares de portadores do vírus da AIDS
• Reações Adversas: Muito raras. A vacina oral pode desencadear quadro semelhante ao da Pólio.
• Eficácia: As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 100%.

Apresentação Injetável (eIPV)
• Contra-indicações: febre, alergia a componentes da vacina.
• Reações Adversas: Ocorrem raramente reações locais.
• Eficácia: As apresentações encontradas no Brasil têm eficácia próxima aos 100%.

Considerações Importantes:
Recomenda-se usar a vacina injetável, pelo menos para as primeiras duas doses do bebê.
A vacina oral deve ser aplicada sempre, independentemente do estado vacinal da criança, durante as campanhas públicas
Em adultos não se deve aplicar a vacina oral sem antes aplicar pelo menos duas doses da injetável.

Apresentações disponíveis:
Vacina Simples: Oral (Sabin) ou Injetável (eIPV)
Vacinas Combinadas:
Penta: Tríplice Bacteriana acelular + Hib + Pólio injetável
Hexa:Tríplice Bacteriana acelular + Hib + Pólio injetável + Hepatite B

Associação com outras vacinas: desde que aplicadas em locais anatômicos diferentes.

Meningite Meningocócica

A meningite é uma doença muito grave que causa inflamação das membranas que recobrem o cérebro e a medula espinhal. Pode ser causada por vírus ou bactérias e é transmitida pelas gotas expelidas pela fala, tosse, espirro ou beijo.

A Meningite viral é causada por vários tipos de vírus e é a que ocorre mais frequentemente, sendo de evolução benigna (não existe vacina). A Meningite bacteriana é uma doença muito grave, que poder ser causada por várias bactérias, sendo as mais comuns o meningococo, o pneumococo e o haemófilo, contra as quais existem as vacinas.

O risco de contrair a meningite existe para todas as idades, sendo que nos dois primeiros anos de vida o risco é maior.

Indicações para vacinar:
A vacina Conjugada trouxe a possibilidade de vacinar rotineiramente crianças a partir dos 2 meses de idade, adolescentes e adultos pois produz uma boa proteção e de forma duradoura.

A vacina cubana, protege contra o tipo B, é pouco eficaz, principalmente em crianças menores de 4 anos, produz uma proteção por no máximo 2 anos. Deve ser aplicada não de rotina, mas a critério médico. A vacina contra os tipos A e C deve ser aplicada somente em pessoas que irão viajar para países onde o tipo A predomina – veja vacinação

Vacinação:
• Contra-indicações: febre e alergia a componentes da vacina.
• Reações Adversas: Reações locais e febre podem ocorrer nas 24 horas seguintes à aplicação.

Febre Amarela

A Febre amarela é uma doença de evolução rápida, de curta duração e de gravidade variável, causada por um vírus. É encontrada na América do Sul e na África. Existem dois tipos de febre amarela: silvestre e a urbana. No final de 2007 aqui no Brasil, houve um aumento do registro de casos de febre amarela silvestre, já a urbana, o último caso foi registrado em 1942 no Brasil. A doença é transmitida através da picada de mosquitos transmissores infectados pelo vírus. A silvestre é transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, e a urbana, pelo Aedes aegypti. Não existe transmissão de pessoa para pessoa.

Os sintomas são: febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômitos, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos amarelados) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina).

A vacina é indicada para todas as pessoas que vivem ou para aquelas que irão viajar para áreas nacionais ou internacionais de risco.

Febre Tifóide

A Febre Tifóide é uma doença bacteriana aguda causada pela Salmonella thiph e é mais comum em regiões onde a higiene e o saneamento básico são precários. A transmissão é feita através de água ou alimentos contaminados e contato (mão-boca) com fezes, urina, secreção respiratória, vômitos ou pus de indivíduos infectados. Os sintomas se caracterizam por febre alta, dor de cabeça, mal estar geral e dor abdominal. O sangramento e a perfuração intestinal são complicações mais comuns que ocorrem em pessoas não tratadas.

A prevenção é ferver ou filtrar a água antes de consumi-la, preparar adequadamente os alimentos, evitas alimentação na rua e, se necessário, dar preferência a pratos preparados na hora. A prevenção através da vacinação é recomendada para pessoas sujeitas à exposições (contato com esgoto) e para aqueles que ingressem em zonas de alta endemicidade da doença por ocasião de viagem.

 Perdizes - (11) 3673-8520 / Osasco - (11) 3681-8677            provaccina1@uol.com.br